segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Curados Para Servir à Mesa do Rei

Em um texto curto de Marcos (1. 29-31) a sogra de Pedro estava febril e foi curada por Jesus. Na antiguidade, estar com febre era realmente preocupante. Não é doença, é sintoma, prenúncio de que  aquela casa teria uma luta árdua pela vida.
Àquele tempo, a febre poderia estar indicando a brucelose (febre de Malta), febre tifóide ou malária. Eram doenças comuns na região devido às enchentes do Jordão, a má alimentação e higiene precária.
Jesus chega a hora do almoço e para aquela mulher, os sinais do corpo não eram bons. Falaram dela a Jesus e ele veio para junto dela, no seu quarto, lugar privado aonde um homem não poderia estar, segundo as normas sociais vigentes. Ele se aproxima e pega em suas mãos e a levanta. Jesus vai ao seu encontro e a cura. Saiu de sua prostração e letargia e juntou-se aos visitantes. Pode servir, agora. Servir era só para discípulos, privilégio deles. Não estamos no mundo ultramoderno e a mulher não podia servir a mesa, era função e mérito de homens. Jesus a promove a discípula.
Só quem chegou próximo a Ele vive a Vida. Só quem foi tocado por Ele entende Seu amor. Só quem foi levantado por Ele pode e sabe servir.
Não basta querermos servir, sermos úteis a Deus. Antes de servirmos é preciso que Ele nos cure.

Pense ainda:
Antes de proclamarmos a Palavra é necessário conhecê-la,  antes de nos lançarmos a missão é imperativa a transformação, a cura até de nós mesmos.


"Estando com eles, ordenou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, a qual (disse ele) de mim ouvistes.
Porque, na verdade, João batizou em água, mas vós sereis batizados no Espírito Santo, dentro de poucos dias.
Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samária, e até os confins da terra." (At. 1.4, 5 e 8)
Servir a Deus é para discípulos e discípulas que cheios de gratidão e do poder do Espírito estão a mesa do Rei.